Notícias

CORPO DE BOMBEIROS DE MINAS SALVA VÍTIMAS DE CICLONE KENNETH EM MOÇAMBIQUE

  • Nenhum comentário

O fenômeno gerou chuva e alagamento intensos por mais de 12 horas em comunidades carentes

Até o início da tarde desta segunda-feira, autoridades confirmaram 38 mortes, após a passagem do Ciclone Kenneth na cidade de Pemba, na Costa Nordeste de Moçambique, no Sudeste da África, de sábado ( 27) para domingo (28).

Uma série de salvamentos e resgates são feitos pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais (CBMMG). No Município, Capital da Província de Cabo Delgado, as comunidades locais foram intensamente afetadas pela passagem do ciclone Kenneth e pelas fortes chuvas, que começaram logo após a passagem do fenômeno. De acordo com os Bombeiros de Minas Gerais, mais de 3.300 casas foram destruídas e mais de 18 mil pessoas estão desabrigadas.

O Kenneth, com ventos superiores a 280km/h, é ainda mais forte que o Idai, que atingiu a região em 14 de março, causando cerca de mil mortes.

Bombeiros de Minas Gerais em atuação na Cidade de Pemba, atingida nesse fim de semana, pelo Ciclone kenneth. Crédtios CBMMG

As imagens mostram o trabalho que é feito pela Corporação de Salvamento mineira, na região, com 3 equipes que percorrem a área afetada. Os Bombeiros trabalham retirando pessoas ilhadas e de casas com risco de desabamento, além de fazerem salvamento de vítimas em situação de perigo, como uma mãe e seu bebê que foram retiradados da área crítica pela Equipe.

Equipe da Corporação de Salvamento mineira salva mãe e bebê dos intensos alagamentos em Pemba.
Créditos: CBMMG

O Capitão Kleber Castro participa da operação e relata em vídeo a atuação do CBMMG. A operação deve permanecer pelos próximos dias, por causa da previsão de fortes chuvas durante toda a semana.

As equipes do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais viajaram a Moçambique para ficaram 15 dias, em misssão de salvamento das vítimas do Ciclone Idai. Mas, como a situação é complicada no País, ainda não há previsão de volta dos militares ao Brasil.

Por: Jardel Gama