Notícias

Deputado Sargento Rodrigues ocupa tribuna para cobrar da Assembleia, demais poderes e órgãos públicos

  • Nenhum comentário

Portal das Gerais- O seu portal de Segurança Pública e Notícias – edição Jane Huscher

Estamos com 34 dias de um novo governo. Continuamos a cobrança e vamos continuar porque ver o servidor do Poder Executivo receber o 13º salário em 11 parcelas é uma covardia.

 

Os servidores que já vinham amargando um parcelamento de três anos, tiveram suas contas completamente desequilibradas, as suas finanças arruinadas, com o passar do tempo. Passaram a pagar, com o parcelamento, juros do cartão de crédito, do empréstimo consignado, da casa própria, do carro, da compra do material escolar, ou seja, de todas as suas despesas.

Pasmem senhores e senhoras! Falo, aqui, para fazer um apelo aos deputados que estão chegando pela primeira vez. Um apelo especial porque, infelizmente, muitos dos nossos colegas quedaram-se inertes e não tiveram a coragem de se agigantar desta tribuna e no momento das votações para dizer NÃO a “garganta profunda” que tem o Poder Judiciário, o Ministério Público, o Tribunal de Contas e, agora, até a Defensoria Pública.

No final de dezembro do ano passado, fui o único deputado que VOTOU CONTRA O AUMENTO DA DEFENSORIA PÚBLICA de 8,5%. Enquanto o Executivo concedia este aumento aos defensores públicos, cujo salarial inicial é da ordem de R$22 mil e do Defensor Geral de R$29 mil, os demais servidores amargavam quatro anos sem reposição da perda inflacionária e três anos de parcelamento. Esta Casa votou propostas de leis complementares permitindo que o Judiciário e o Ministério Público vendessem dois meses de férias prêmio e os deputados aqui inertes.

Por diversas vezes, ocupei esta tribuna para dizer que a responsabilidade também é do Legislativo. Quem sabe com os novos parlamentares que aqui chegaram, a nossa voz não vem ecoar solitária, como foi no mandato passado?!

Quando da votação do MP, só tivemos três votos contrários, sendo um deste deputado e, se não estou equivocado, três ou quatro votos, Marília Campos, Dr. Jean e João Leite. O restante, todo mundo votou a favor, como se o servidor do Executivo tivesse no “mar de rosas”.

Está na hora desta Casa se agigantar e dizer que o Estado NÃO É SÓ O EXECUTIVO. O ESTADO É A ASSEMBLEIA. O Estado é o Judiciário. O Estado é o Ministério Público. O Estado é o Tribunal de Contas. O Estado é a Defensoria Pública. Está na hora dessa Assembleia ter coragem, ter vergonha na cara, e dizer que aqui é Poder para barrar os aumentos absurdos. Nós, deputados, ficaríamos em uma situação menos constrangedora porque o aumento de 16,58% está repercutindo, hoje, no contracheque do Juiz, do Desembargador, do Promotor, do Procurador e dos Conselheiros do Tribunal de Contas.

16,58% de reajuste e os servidores do Executivo continuam amargando quatro anos sem reposição das perdas inflacionárias, três anos de parcelamento e, agora, o Governador Romeu Zema anuncia um parcelamento de 11 vezes do pagamento do 13º salário.

amargando apelo cobrança complementares contas continuar defensor deputados executivo governo legislativo parcelamento parlamentares portal das gerais responsabilidade segurança pública Minas Gerais policia civil MG portal das gerais rede gerais de radio tribuna tribunal votos