Notícias

ESTADO PREPARA CONCESSÃO DE 20 PARQUES ESTADUAIS

  • Nenhum comentário

Iniciativa foi um dos anúncios em reunião com a participação de secretário e de ministro do Turismo.

Concessão dos 20 maiores parques estaduais de Minas para a iniciativa privada; concessão do Minascentro, em Belo Horizonte; atração de voos nacionais e internacionais; promoção de roteiros gastronômicos e religiosos. Essas foram algumas prioridades anunciadas, nesta segunda-feira (13/5/19), por autoridades estaduais e nacionais, para fortalecer o turismo no Estado.

Os anúncios foram feitos pelo secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, e pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que participaram de audiência pública realizada pela Comissão Extraordinária de Turismo e Gastronomia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Foi a primeira reunião deste tipo realizada pela comissão, criada pelo Parlamento mineiro em 2 de abril deste ano.

Logo na abertura da reunião, tanto o presidente da comissão, deputado Professor Irineu (PSL), e o vice, Gustavo Mitre (PSC), salientaram o potencial do turismo para a geração de empregos, sem necessidade de grandes investimentos, em um momento difícil da economia mineira e nacional.

O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, defendeu que o setor público e o privado se unam para mudar a economia do Estado, trocando o foco em commodities, como o minério de ferro, pela economia criativa, que inclui turismo, cultura e gastronomia. “Se continuarmos com uma produção de baixo valor agregado, nós não vamos construir um futuro decente para Minas Gerais”, afirmou Marcelo.

Entre os projetos anunciados, está a concessão dos 20 maiores parques estaduais para a exploração turística. Segundo o secretário, o projeto já está em andamento, ainda em fase de estudo de viabilidade.

Mais adiantado, segundo Marcelo, está o processo de concessão do Minascentro, centro de convenções da Capital, hoje administrado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). O secretário informou que quatro candidatos disputam a gestão do centro de convenções.

Ministro e secretário preveem aumento no número de voos

Uma pauta que uniu tanto o secretário quanto o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi a perspectiva de aumento do número de voos para Minas e para o Brasil. O ministro disse que diversas iniciativas fazem prever que os voos vindos do exterior devem dobrar, com um impacto de R$ 1,6 bilhão anuais para o Brasil.

Entre as iniciativas que viabilizarão esse aumento, segundo o ministro, está um entendimento com o grupo espanhol Globalia, que lidera o setor de turismo na Espanha. O grupo controla empresas de aviação e cadeias de hotéis que se estendem por diversos países na Europa. “Serão mais 310 mil europeus visitando o Brasil, a cada ano”, afirmou.

Os contatos com a Globalia também devem trazer para o Brasil oescritório da Wakalua para a América Latina, que vinha sendo disputado com a Colômbia. O Wakalua é um centro de fomento astartups e inovação em turismo, criado pela Globalia, em parceria com a Organização Mundial do Turismo (OMT).

Outra medida que já está ampliando o número de turistas estrangeiros, de acordo com o ministro, é a isenção unilateral de vistos para visitantes provenientes dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália. A medida foi adotada pelo governo brasileiro em 18 de março, abrindo mão da reciprocidade, que era reivindicada anteriormente.

O secretário Marcelo Matte disse que o governo estadual trabalhará para atrair voos internacionais e nacionais para Minas, enfrentando as políticas de benefícios fiscais oferecidas pelos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. “Vamos entrar nessa guerra fiscal”, afirmou. O Estado, segundo ele, também está investindo R$ 5 milhões em uma campanha nacional de promoção turística.

Belo Horizonte disputa título da Unesco de “cidade criativa”

Também integrante da Comissão Extraordinária, o deputado Virgílio Guimarães (PT) fez uma convocação para que gestores públicos e privados se unam em torno de dois projetos: a escolha de Belo Horizonte como “cidade criativa”, pela Unesco, na área da gastronomia; e as comemorações dos 300 anos de criação do Estado de Minas Gerais, em 2020.

No Brasil, até o momento, a Unesco selecionou oito cidades criativas em cinco categorias: Curitiba (PR) e Brasília (DF), no design; Paraty (RJ), Belém (PA) e Florianópolis (SC), na gastronomia; João Pessoa (PB), no artesanato e artes folclóricas; Salvador (BA), na música; e Santos (SP), no cinema.

Presidente da Comissão de Turismo da Câmara Federal, o deputado Newton Cardoso Jr. (MDB-MG) disse que Minas também precisa valorizar o turismo religioso, realçando iniciativas como a construção da Cruz de Todos os Povos, que está sendo erguida no Morro da Gurita, em Divinópolis (Centro-Oeste). Nessa área, o secretário Marcelo Matte defendeu o fim da mineração na Serra da Piedade, movimento que conta com apoio de parlamentares mineiros.

O deputado Mauro Tramonte (PRB) defendeu o apoio aos eventos de Carnaval em Belo Horizontee no interior do Estado. Também cobrou uma articulação para promover as cervejas artesanaisproduzidas em Minas Gerais. Já o deputado Coronel Henrique (PSL) defendeu a valorização de polos regionais de turismo, tais como Santos Dumont e Ubá, na Zona da Mata mineira.

Por: Jardel Gama

Com informações da ALMG