Notícias

Os Estados Unidos entraram, nesta terça-feira (22), no segundo mês da paralisia parcial do governo, devido à falta de acordo orçamentário no Congresso

  • Nenhum comentário

Portal das Gerais- O seu portal de Segurança Pública e Notícias –  edição Jane Huscher

Os Estados Unidos entraram, nesta terça-feira (22), no segundo mês da paralisia parcial do governo, devido à falta de acordo orçamentário no Congresso, com poucas esperanças de sair de uma crise que pesa na economia da maior potência mundial.

Desde 22 de dezembro, boa parte do governo federal está bloqueada (em “shutdown”) pela queda de braço entre os democratas do Congresso e a Casa Branca sobre o financiamento de um muro na fronteira com o México, o qual o presidente Donald Trump está determinado a construir.

Trump se nega a assinar qualquer lei orçamentária que não contemple os 5,7 bilhões de dólares considerados necessários para o muro contra a imigração ilegal, uma de suas principais promessas de campanha. Os democratas se opõem ao financiamento da obra por considerá-la “imoral”, custosa e ineficaz.

No sábado, Trump ofereceu estender a permanência de um milhão de imigrantes prestes a serem expulsos: os “dreamers”, jovens que chegaram aos Estados Unidos sem documentos quando eram crianças acompanhados de seus pais, e os beneficiários dos programas de proteção temporária (TPS, na sigla em inglês).

Trump tinha suspendido os dois programas após sua chegada ao poder. Nesta terça, o Congresso voltou a funcionar após o feriado de segunda-feira, sem ter uma solução à vista.

“Sem um muro, nosso país nunca pode ter nem fronteira, nem segurança nacional”, disse Trump no Twitter, acusando os democratas de estarem fazendo “jogos políticos”.

A líder da maioria democrata na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, respondeu acusando o presidente e os republicanos que controlam o Senado de manter os americanos “reféns”.

O “shutdown” afeta apenas 0,5% dos trabalhadores americanos, mas influi na confiança dos consumidores, aponta uma pesquisa da Universidade de Michigan. Também prejudica a economia e o crescimento do PIB dos Estados Unidos em um momento de desaceleração para a economia mundial, dizem especialistas.

Cerca de 800.000 funcionários federais estão em licença não remunerada, ou trabalhando sem receber. Em áreas sensíveis, como Segurança Interna e transportes, o pessoal está reduzido ao mínimo.

Os parques nacionais estão sem vigias, vários museus estão fechados, e o funcionamento dos aeroportos está mais lento.

americanos beneficiários confiança consumidores crescimento crianças democratas documentos dólares economia expulsos feriado Financiamento imigração imigrantes imoral jogos lei milhão muro obra permanência portal das gerais presidente programas proteção republicanos Segurança shutdown trabalhadores