Notícias

Placa bizarra de reinauguração do Parque Aquático de Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, tem que ser removida.

  • Nenhum comentário

Portal das Gerais- O seu portal de Segurança Pública e Notícias –  edição Jane Huscher

A Justiça determinou a retirada imediata da placa de reinauguração do Parque Aquático de Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, na qual dois ex-prefeitos são criticados. A decisão liminar, é da juíza Cristiane Dias Bonfim.

Na descrição encomendada pelo ex-prefeito e atual secretário de Planejamento, Vitório Revers, os ex-prefeitos Gelmar Chmiel e Edson Prado são apontados como os responsáveis pelo abandono e pela destruição do local, respectivamente.

Na mesma placa, Revers aparece como o idealizador e construtor do parque, e a atual prefeitura e esposa dele, Marlene Fátima Revers (Pros), como a responsável pela reconstrução.

O pedido judicial de retirada foi feito por Gelmar Chmiel. Na decisão, a juíza afirmou que houve violação do princípio da impessoalidade.

Conforme a magistrada, gestores públicos devem “obedecer não somente à lei jurídica, mas também a mínimos padrões éticos estabelecidos”.

“Além de denegrirem a imagem de terceiros, possivelmente buscando vantagens políticas, as autoridades apontadas como coatoras supostamente utilizaram-se da placa confeccionada com dinheiro público para provocarem escárnio da população, bem como para alcançarem divulgação na mídia, o que fere de morte o aludido princípio”, afirmou.

Cristiane também apontou que o dinheiro utilizado para a obra é público e que quem concluiu a obra somente cumpriu com a obrigação.

aquático descrição destruição determinou encomendada escárnio estabelecidos éticos ex-prefeitos idealizador Justiça liminar obra obrigação padrões parque placa planejamento políticas população portal das gerais reinauguração resoponsáveis respectivamente retirada secretário segurança pública Minas Gerais policia civil MG portal das gerais rede gerais de radio vantagens