Notícias

Presidente da Ascobom envia nota de repúdio para o comando do CBMMG

  • Nenhum comentário

NOTA DE REPÚDIO SOBRE A DECLARAÇÃO DO ALTO-COMANDO QUE POSTOU NO SITE DA CORPORAÇÃO DIZENDO QUE A ASCOBOM NÃO TEM VINCULO COM CBMMG.

Excelentíssimo Comandante Geral do CBMMG. É com muita perplexidade que recebo esta informação, mas é como presidente da ASCOBOM que eu gostaria de esclarecer alguns pontos.

Em primeiro lugar, quero refrescar a memória do comando, que de acordo com a constituição federal no seu Art. 5 e no parágrafo XVIII – “a criação de associações e, na forma da lei… independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento”;
A Associação dos Servidores do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar foi sugerida pelo o Comandante Cel BM José Maria, que foi o primeiro comandante do CBMMG após a separação da PMMG.
A Ascobom, não foi constituída para servir o Alto-Comando do CBMMG e da PMMG, e sim, para servir aos interesses da categoria, do recruta ao coronel reformado, inclusive a pessoa do comandante. Não somos uma entidade pelega que mantém vínculo partidário. O nosso objetivo é representar o militar para que tenha os seus direitos constitucionais garantidos, mesmo que tenhamos que contrariar os interesses deste comando e do governo;
Longe de nós de querermos desmerecer o alto-comando, porém, o parágrafo XVIII acima citado, é muito claro: não precisamos da autorização do Comandante Geral para termos vínculo com a instituição. A Lei nº 19.490/2011 e o Decreto 46.273 já nos garantem este vínculo que o senhor declara não existir.
Quero também esclarecer, que em 18 anos de Ascobom é a primeira vez na nossa história que tivemos tantos entraves e falta de diálogo com o comando e com o governo. Nestes 18 anos, a Ascobom foi recebida por todos os comandantes gerais do CBMMG e PMMG, para dar as boas vindas e para tratarmos das questões que são pertinentes e de interesse dos militares. Até a presente data, vossa excelência não nos convidou para estabelecermos um diálogo e buscarmos juntos, uma solução para os problemas que nos afligem na atualidade.
Portanto, senhor Comandante, gostaria em nome da boa ética, que além do senhor autorizar a publicação no site dizendo que nossas instituições não tem vínculo, que o senhor também colocasse no site as razões que levaram o comando ter esta atitude lamentável, pois esta afirmação fica muita vaga. Talvez o senhor não queira reconhecer o nosso trabalho em favor da nossa gente, mas é preciso esclarecer os fatos;
Senhor Comandante, nestes 18 anos de dedicação para a nossa categoria, já fizemos muito por nossa família policial e bombeiro militar. A nossa assistência jurídica já resolveu mais de 14.000 processos administrativos, cíveis e criminais de praças e oficiais, já faz dez anos que oferecemos Clubes de lazer na RBH para a família do policial militar, na nossa Proteção Automotiva, já indenizamos mais de oito mil militares que tiveram seus veículos roubados, furtados e/ou acidentados. Atendemos milhares de militares na nossa diretoria de assistência social, por diversos problemas de ordem social e econômica.
Gostaria também de lembrar a este comando, que a partir do ano de 2007, a Ascobom ombreou com as demais associações e parlamentares militares e lutamos por melhorias salariais e melhores condições de trabalho, que resultou neste salário que vossa excelência goza hoje e inclusive ultrapassando o teto estabelecido por lei. E tivemos muitas outras conquistas que são de conhecimento geral das nossas instituições militares.
E hoje estamos vivendo um verdadeiro pesadelo, um governo que em campanha fez promessas que não foram cumpridas e que vem tentando oprimir todos aqueles que se ousem cobrar os seus direitos, usando os comandantes das instituições militares para realizar as sua vingança pessoal e política, com transferências arbitrárias, IPMs e PADs, amordaçando a todos sem direito do contraditório.
O nosso IPSM está ameaçado por uma gestão política que não tem apreço por militares, se não houvesse a nossa interferência, hoje, talvez já não teríamos um Instituto de Previdência para de chamar de nosso. Este governo já acumula uma dívida de mais de três Bilhões de reais, em desfavor do nosso Instituto, deixando o IPSM inadimplente no mercado e desta forma, os prestadores de serviços bem como os fornecedores, estão deixando de atender a nossa gente, principalmente no interior, que não tem o apoio do HPM e Centro Odontológico. Hoje mesmo, recebemos uma denúncia vinda de um militar com HIV, que o seu tratamento foi interrompido por falta de fornecimento de remédios, e o que mais nos deixa preocupados é saber que os militares que trabalham no Resgate e no Salvamento, estão vulneráveis a esta doença contagiosa, pois não tem remédio de caráter preventivo para os militares que se envolverem em BO, que possuam vítimas de HIV.
Depois de muita luta e diálogo com o governo Anastásia, conseguimos estabelecer o Promorar, que financiava as moradias dos militares que vivem em locais de risco, porém, este governo do PT, tinha na sua lista de maldade, acabar com este benefício. E conseguiu, e não vimos esforços dos comandantes gerais e principalmente da PM, que é o presidente do conselho gestor no IPSM,para não deixar que isso acontecesse.
Comandante do CBMMG, o senhor, na sua particularidade tem o direito de não reconhecer os nossos esforços para tornarmos a vida do policial e bombeiro militar mais suportável, todos foram e continuam sendo beneficiados por nossas lutas e conquistas, e espero que o senhor seja mais claro nas suas declarações, já que responde por uma instituição pública. E independe de vossa excelência a existência da Ascobom. Esta declaração do comando, no site do CBMMG, não contribui em nada para buscarmos juntos a solução de problemas que nos atingem neste momento. Às vezes as circunstâncias nos levam para locais perigosos e até contra a nossa vontade, errar é humano, mas temos o poder de mudar de atitude, reparar os danos e continuar a nossa caminhada. O senhor deve ter uma história bonita no CBMMG, não deixe pessoas inescrupulosas interromper esta trajetória que o senhor direcionou para a sua vida profissional, acredito na conversão de pessoas e na mudança de ideias e opiniões.

Desde já eu coloco a Ascobom à disposição deste comando e seu estado-maior, para juntos lutarmos por um bem comum e buscarmos uma convergência para que possamos estabelecer a tranquilidade que todos esperam. E no mais, os meus cordiais cumprimentos,
Sgt. Alexandre Rodrigues –
Presidente da Ascobom

ascobom associações bombeiro categoria clube comando conselho convergência corpo de bombeiros policia civiil de minas gerais policia de minas gerais policia militar de minas gerais portal das gerais Rede Gerais de Comunica~ção rede gerais de radio Segurança Pública declarações direito esforços estado família gestor governo jurídica lazer locais luta maior memória militares perigosos policial portal das gerais presidente promorar roubados segurança pública Minas Gerais policia civil MG portal das gerais rede gerais de radio suportável veículos vínculo